So there you have it: two things and I can’t bring them together, and they are wrenching me apart. These two feelings, this knowledge of a world so awful, this sense of a life so extraordinary – how am I to resolve them?





[…] A cold paralyzing horror: a glimpse into the subhuman… the sickness of life beginning again: the exhausting awareness of every ache. What the hand does in reaching, a misery of awareness; loss of memory in small things; hatred of necessary routines; hatred but not fear of dark; watching the skin, the fingers; overeating; a full preoccupation with unnecessary tasks; weakness in the morning; fear of headlights; distrust of children; a tide of loss.

(Theodore Roethke, notebooks)

Anúncios

Posted by: Jussara

….

Por mais que eu aprecie Dostoiévski, ele estava completamente enganado!

A beleza não salvará o mundo, muito menos salvará os homens. Os seres humanos estão além de qualquer possibilidade de salvação.

Não há nada que a “beleza” possa fazer contra uma imagem como esta; ou melhor, contra uma realidade como esta… Não há nada neste universo que possa modificar o que os homens fazem uns aos outros. Somos monstros, antes de qualquer outra coisa.

……..

……..

E a imagem só não é pior, porque o fotógrafo era profissional e soube explorar bem toda a miséria da condição dessas pessoas; da mesma forma que faz o famoso fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado. Infelizmente, não sei a quem creditar esta foto.